Em resposta à carta que enviámos a todas as Câmaras Municipais do país, questionando sobre a aplicação do PREVPAP em cada município, recebemos resposta da Câmara Municipal de Grândola (distrito de Setúbal), em que nos comunica que irá regularizar 45 situações de precariedade. Estes postos de trabalho, comunicados no âmbito do inquérito à Direcção Geral das Autarquias Locais, são actualmente satisfeitos com recurso a falsos recibos verdes: 19 técnicos superiores, 9 assistentes técnicos e 17 assistentes operacionais. A Câmara comunicou-nos que não irá recorrer à metodologia aplicada no Estado Central, ou seja, não irá abrir período para entrega de requerimentos nem constituir comissões de avaliação. A autarquia diz ainda que o processo já arrancou, tendo mesmo já sido iniciados os procedimentos concursais. Verificámos, de facto, que a Câmara tornou público um Aviso, em que se anuncia a abertura de procedimento concursal para regularização de 40 postos de trabalho (ver aqui). Tentaremos obter informação quanto às outras 5 situações referidas pela autarquia.

Continuaremos a lutar e a exigir a regularização de todas situações de precariedade em todas as autarquias. E apelamos a todas as pessoas, em Grândola e em cada localidade do país, para que se mantenham atentas e nos remetam informação relevante. Só a mobilização e a solidariedade poderá garantir a concretização deste processo e que ninguém fica para trás.