O 1º de Maio é a próxima data na mobilização dos precários do Estado. No encontro realizado este sábado, em Lisboa, foi debatido o ponto de situação no processo de regularização e os próximos passos a seguir. Tal como já tinha sido apontado nas concentrações do passado dia 7 de Abril, fica marcada a participação na manifestação do 1º de Maio em Lisboa: iremos juntar-nos e apelar à participação na habitual mobilização contra a precariedade, com concentração no Largo do Intendente e integração na manifestação do Dia do Trabalhador até à Alameda. Neste momento decisivo do processo, depois da forte mensagem que resultou das concentrações de dia 7 de Abril, é vital manter a mobilização. O desfecho do programa depende da nossa persistência, da visibilidade da nossa luta, de manter a exigência para acabar com os boicotes, os bloqueios e as várias injustiças na implementação do PREVPAP.

Na reunião deste sábado, foi ainda debatida a importância de reforçar a informação e o apoio, em particular neste momento crítico do programa de regularização. Depois de muita pressão, as comissões de avaliação estão a comunicar decisões e muitas pessoas estão a receber notificações. Muitos colegas têm dúvidas e são confrontados com decisões injustas, pelo que procuraremos intensificar a partilha de informação. Vamos trabalhar em conjunto para continuarmos a responder a todas as dúvidas que nos chegam, muitas vezes de colegas que se encontram numa situação mais difícil e isolada. Apelamos também a que todos os colegas nos remetam informação relevante sobre decisões, dificuldades, dúvidas ou tentativas de bloqueio à regularização. Esta identificação é essencial em cada sector, em cada tipo de vínculo ou situação profissional. Perante a reiterada falta de transparência e informação na aplicação do programa, a nossa solidariedade e entreajuda são essenciais.

Recordamos que está também agendado um encontro no Porto, para o próximo dia 21 de Abril, às 15h na sede do Sindicato dos Professores do Norte, em que será também discutido o ponto de situação e as dúvidas sobre as situações concretas dos colegas, bem como os próximos momentos de mobilização.