Transcrevemos um testemunho de um precário do Estado que esteve anos a trabalhar para Programas Ocupacionais.

«Boa tarde venho só dar o meu caso como exemplo a propósito dos precários ao serviço do Estado.

Comecei a trabalhar numa Junta de Freguesia em fevereiro de 1998 através de um POC, fiz diversos POCs durante 5 anos.

Em 2003 e através do centro de Emprego em cooperação com a Segurança Social, fizeram-me um contrato sem termo por ser uma desempregada de longa duração, pois de acordo com aquelas 2 entidades não era necessário abrir concurso.

Os anos passaram e apesar de eu falar várias vezes no assunto, nunca nada foi feito nem nunca abriram concurso para o lugar por forma a integrar-me nos quadros.

Em 2013 com a fusão da freguesia em que trabalhava com outra, fui despedida por o meu contrato ser nulo.

Fui contratada a recibos verdes e continuo a trabalhar nos mesmo termos em que trabalhava, desempenhando as mesmas funções.

Sou um falso recibo verde e sou precária. Espero que surja uma luz ao fundo do túnel pois tenho 48 anos, trabalho aqui há 18 e para o ano há eleições, estou num sobressalto enorme uma vez que um novo executivo pode mandar-me embora.

Obrigada por lutarem por mim!»

Testemunho publicado originalmente em precarios.net

― Fui de POC para falsos recibos verdes para uma junta de freguesia